Destaques Destaques

Voltar

Cevid apresenta Patrulha Maria da Penha a comitiva de Barra do Garça, no Mato Grosso


Cevid apresenta Patrulha Maria da Penha a comitiva de Barra do Garça, no Mato Grosso

Desembargadora Lenice Bodstein ressaltou as conquistas já alcançadas no Paraná e o trabalho de atendimento a vítimas de violência doméstica, seus agressores e familiares
Qua, 09 Ago 2017 15:24:00 -0300

Na tarde desta terça-feira (8/8), a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Paraná (Cevid) recebeu autoridades envolvidas com o combate à violência doméstica da Comarca de Barra do Garça, de Mato Grosso.

O grupo composto por integrantes da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica Contra a Mulher (Rede de Frente) veio a Curitiba para conhecer o trabalho de combate à violência doméstica desenvolvido na capital. O objetivo foi verificar como funciona a Patrulha Maria da Penha, para implantar na cidade.

Durante o encontro que resultou em troca de experiências entre os estados, a Desembargadora e Coordenadora da Cevid, Lenice Bodstein, falou das conquistas já alcançadas no Paraná e do trabalho em desenvolvimento para atender as vítimas de violência doméstica, seus agressores e familiares.

A Desembargadora explicou que o papel da Cevid na implantação da Patrulha Maria da Penha é o de intermediar o convênio entre o Tribunal de Justiça do Paraná e o Município interessado, por meio da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Mudança cultural

“Existem algumas ferramentas que são imprescindíveis para o nosso trabalho, e uma delas é a Patrulha Maria da Penha, porque não é só uma ferramenta, ela traz a mudança de cultura, vem ao encontro da população, do ser humano, do cidadão, do usuário dos nossos serviços diretamente onde ele se sente, não só orientado, como protegido”, disse a magistrada.

A Defensora Pública Lindalva Ramos destacou que a ideia de levar a Patrulha Maria da Penha a sua cidade é para ficar mais perto das vítimas. “Nós queremos nos aproximar das vítimas, deixá-las mais seguras”, ressalta.

A Major e subcomandante da Rede de Frente, Andreia Vital Costa, falou sobre o desejo de implantar um projeto piloto na cidade e depois talvez expandi-lo para todo o estado do Mato Grosso. “Já que em Barra do Garça não há guarda municipal como aqui em Curitiba, então a Polícia Militar pode se capacitar e fazer o atendimento às vítimas com a Patrulha Maria da Penha em projeto piloto.”

Participaram da reunião a Presidente da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica Contra a Mulher (Rede de Frente), Andrea Guirra; a Promotora de Justiça, Hellen Kuriki; a Assistente Social e Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Josiane Emilia da Silva; o Psicólogo da Secretaria de Segurança e Direitos Humanos, Eduardo dos Santos Vieira; a Supervisora da Patrulha Maria da Penha de Curitiba, Cleuza Pereira; a servidora da Cevid, Bruna Caroline Monteiro Rosa, e a estagiária Paula Mello.