Destaques Destaques

Voltar

Novo Centro de Transporte do TJ será inaugurado

As obras da nova sede da Central de Transportes (Cetrans) do Tribunal de Justiça estão praticamente finalizadas. O Presidente do TJPR, Desembargador Paulo Roberto Vasconcelos visitou o local nesta sexta-feira (06/01).

“Esta nova obra mostra o quanto a administração do TJPR tem sido atuante na ocupação e urbanização do Centro Judiciário de Curitiba”, afirmou o Presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Paulo Roberto Vasconcelos.

Depois de feita a demolição das casas desapropriadas no terreno foi feita a limpeza do local, reforma das casas onde será o escritório do Cetrans, oficina, lavagem dos veículos e o estacionamento.

Já foram construídos os muros, feita a pintura. A inauguração das instalações será neste mês de janeiro. Com esse novo espaço os veículos oficiais do TJ deixaram o terreno em que ocupam atualmente no Poder Executivo e passaram a ter garagem e sede própria.

 

Logística –

A área anexa ao Centro Judiciário de Curitiba, que irá abrigar a nova sede da Cetrans, foi desapropriada em 2007 e abrange um total de dez terrenos, onde havia nove casas.

Destas, cinco estão sendo demolidas e quatro serão preservadas e adaptadas para receberem área administrativa, oficina e lavagem de carros do Centro de Transportes, o que corresponde a uma área total construída de 750 m².

O novo Cetrans terá ainda estacionamento com capacidade para 124 veículos, o que irá resolver uma questão antiga. Provisoriamente, os veículos do Tribunal de Justiça ficavam abrigados no Departamento Estadual de Transporte Oficial (Deto), o que não mais ocorrerá.

A nova localização do Cetrans não irá alterar a logística de atendimento ao Tribunal. Haverá sempre um motorista de plantão no prédio anexo do Palácio da Justiça, para eventuais serviços não agendados.

No caso do atendimento da sede da Rua Mauá, testes realizados comprovaram que o trajeto do novo local até lá será mais rápido que o percurso anterior, o que irá agilizar o atendimento inclusive em entregas dos malotes ou deslocamentos de assessores e magistrados. Os horários das sessões não sofrerão alterações em virtude da mudança e que haverá liberação de diversas vagas nos prédios do Tribunal.

Outra vantagem é a ocupação da área que antes estava desocupada (entre a Rua Manoel Pedro e o antigo Presídio do Ahú) melhorando a segurança na região.