Notícias Notícias

Voltar

Tecnologia auxilia Desembargadores no atendimento aos advogados

Foto:IRWL Foto:IRWL

Tecnologia auxilia Desembargadores no atendimento aos advogados

A videoconferência via Skype gera comodidade e evita deslocamentos dos advogados quando há necessidade de conversar com os Desembargadores sobre o trâmite processual
Seg, 19 Jun 2017 16:12:00 -0300

Entregar memoriais ou até mesmo conversar sobre o trâmite processual, essas tarefas podem parecer simples, porém, em algumas situações, requerem deslocamento, com viagens que superam 600 quilômetros. Para muitos advogados que residem no interior ou em outros Estados, isso faz parte da realidade profissional.

O simples ato de conversar com um Desembargador na capital requer planejamento e estruturação da viagem, e isso, normalmente, gera também custos para as partes.

A advogada Marina Silva Paiva, que atua em Florianópolis (SC), conta que em muitas ocasiões teve que vir até a capital paranaense para atuar em ações de clientes que tramitam nesta Corte. Ela explica que normalmente entre viagem e hospedagem o valor despendido gira em torno de R$ 500. “Esse custo é absorvido pelo cliente, porém nem sempre a parte possui recursos para tal diligência.”

O Desembargador Roberto Portugal Bacellar destaca que, em média, recebe no seu gabinete 20 advogados por mês, desses 10 são de fora. Pensando na celeridade processual e no pronto atendimento aos operadores do direito, o magistrado está utilizando a tecnologia e, via Skype, passou a efetuar reuniões e conversas com os advogados das partes.

 

Experiência com o Skype

A advogada Marina Silva Paiva, de Florianópolis (SC), foi uma das primeiras a participar dessa experiência. Ela ressaltou que a possibilidade de realização de reuniões com Desembargadores por Skype ou por algum outro meio remoto traz apenas vantagens. “A medida traz economia e pleno acesso à Justiça às partes, além de facilitar significativamente o trabalho desenvolvido pelos advogados que a representam, que em muitas oportunidades não teriam acesso a uma esclarecedora e eficiente conversa (seja por falta de disponibilidade de agenda para a viagem, seja por falta de recursos do cliente), não fosse pelo meio remoto.”

Marina Silva Paiva disse ainda que “ao advogado é possibilitado atender o cliente da melhor forma possível, buscando por todos os meios defender seus interesses, sem que tenha que se submeter a eventuais inconvenientes de uma viagem, que muitas vezes lhe toma mais que um dia útil de trabalho”.

 

Facilidade

Além disso, ela destacou que o Skype acaba proporcionando uma pessoalidade maior e é muito fácil de usar. “Ainda que qualquer meio remoto venha a facilitar o contato, a reunião por vídeo do Skype (meio audiovisual) acaba trazendo uma pessoalidade um pouco maior, e parece dar melhor eficácia à conversa, em detrimento a algum meio de contato meramente de áudio, como atendimento por telefone”, afirma Marina.

Para o magistrado Roberto Portugal Bacellar esse avanço tecnológico pode gerar uma grande facilidade para os advogados e para os magistrados, na medida que, tendo acesso antecipado aos memoriais, isso possibilita melhor aproveitamento da conversa.

Bacellar esclarece ainda que “a ferramenta tecnológica otimiza tempo que hoje é um recurso muito valioso para todos nós, profissionais. Além disso, conseguimos economizar recursos com transporte por parte dos advogados e ao mesmo tempo se atinge o objetivo maior que é a compreensão do caso, para que o julgamento possa ser mais justo na medida do possível”.

 

A ideia

O Desembargador conta que a ideia de aplicar a utilização da videoconferência surgiu após conversa com a Ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Nancy Andrighi, que já utiliza a ferramenta em seu gabinete para prestar atendimento aos advogados.

“Retornei de uma viagem à Brasília e depois de conversar com a Ministra Nancy Andrighi decidi imediatamente iniciar as videoconferências”, afirmou Roberto Bacellar.

O Desembargador esclarece que está criando uma rotina para esses atendimentos. “Estamos preparando formulários para melhor atender os procuradores e as partes. Inclusive, pretendemos conversar com os advogados das duas partes no mesmo link, quando possível. É um projeto piloto, porém em fase de ajustes para ampliar para todos os advogados.”