CAPÍTULO II - DA PRESIDÊNCIA DAS SESSÕES 

Art. 71. A presidência das sessões: 

I - do Tribunal Pleno, do Órgão Especial e do Conselho da Magistratura é exercida pelo Presidente do Tribunal; 

II - das Seções, das Câmaras Isoladas e das em Composição Integral é exercida pelo Desembargador mais antigo no mesmo colegiado, pelo período de um ano, em caráter de rodízio

Parágrafo único. Fica dispensado do exercício da presidência da Seção Cível, a seu critério, o Desembargador que estiver, no mesmo período mencionado no inciso II, respondendo pela presidência da Câmara Cível Isolada ou em Composição Integral, bem como aquele que compuser o Órgão Especial por antiguidade ou eleito titular. 

Art. 72. Compete aos Presidentes das sessões: 

I - dirigir os trabalhos, sem permitir interrupções nem o uso da palavra a quem não a houver obtido; 

II - organizar a pauta de julgamento; 

III - determinar a convocação de sessão extraordinária nos casos do art. 61, § 1°, deste Regimento. 

IV - convocar Desembargador ou Juiz de Direito Substituto em Segundo Grau, quando necessário; 

V - exigir dos funcionários do Tribunal o cumprimento dos atos necessários ao regular funcionamento das sessões e execução de suas determinações; 

VI - apreciar os pedidos de preferência e requerimentos de interesse no julgamento presencial, na pauta do dia, e para a própria sessão, nos termos dos arts. 936 e 937, §§ 2° e 4°, do Código de Processo Civil; 

VII - encaminhar, mensalmente, ao Procurador-Geral de Justiça relação dos feitos que se encontram com o Ministério Público; 

VIII - inserir as informações referentes às condenações que geram inelegibilidade, em ação ordinária ou em grau de recurso, mesmo sem o trânsito em julgado, no Cadastro Nacional de Condenados por Ato de Improbidade Administrativa e por Ato que implique inelegibilidade.