Evento reuniu atores do Sistema de Garantias de Direitos para elaboração do Plano Decenal

Curso de Justiça Restaurativa é aplicado na comunidade escolar de Cambé


CURSO DE JUSTIÇA RESTAURATIVA É APLICADO NA COMUNIDADE ESCOLAR DE CAMBÉ

Comarca realizou diversas ações de escuta e acolhimento aos alunos e professores afetados pela tragédia na escola Prof. Helena Kolody 

A tragédia que marcou a comunidade escolar do Colégio Estadual Professora Helena Kolody, em Cambé, completa um ano no dia 19 de junho. E, com objetivo de ofertar um espaço de escuta e acolhimento após o ataque à escola, a comarca da região realizou “Círculos de Construção de Paz” para os alunos e cursos de Justiça Restaurativa para os professores que vivenciaram o episódio em junho de 2023. O ataque resultou na morte de dois estudantes atingidos por tiros de arma de fogo dados por um ex-aluno que invadiu à escola. 

A aplicação do “Curso de Justiça Restaurativa: Formação Prática I - Processos circulares não conflitivos” foi feita na modalidade presencial, entre os dias 04 e 07 de março, e contou com a presença dos professores da rede estadual de ensino.   

As ações do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) junto à comunidade escolar de Cambé vêm ocorrendo desde o ano passado. Na época foi realizada uma reunião de acolhida aos funcionários e equipe pedagógica com o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), a Vara da Infância e Juventude de Cambé e Londrina e com a participação do desembargador Roberto Bacellar, do TJPR. Além da reunião, a comarca contou com a presença de 22 voluntários para realizarem os “Círculos de Construção de Paz” com 10 turmas do Colégio. A ação fortaleceu o vínculo entre os alunos e a equipe acadêmica. 

Ainda, nos meses seguintes à tragédia, a psicóloga judiciária Joana Segantin Esteves juntamente com as assessoras de pós-graduação em psicologia Ariadne Rodrigues Paes e Luana Mariana Castro Rolin fizeram círculos de sensibilização com diretores das escolas municipais e estaduais de Cambé. A participação nos encontros permitiu que houvesse expansão da ação para as demais comunidades escolares. Os professores indicavam novos professores e a nova corrente permitia identificar profissionais aptos a participarem da formação em Justiça Restaurativa e Processos Circulares ofertada pelo TJPR.  

Descrição da imagem de capa: Participantes do curso de Justiça Restaurativa: Formação Prática reunidos em frente a uma sala.